00:00:00
18 Aug

Caso Daniel: Réus são interrogados pela Justiça pela primeira vez em São José dos Pinhais

Audiências são realizadas a partir desta terça-feira (13), no fórum, na Região de Curitiba. Edson Brittes deve ser o primeiro a ser interrogado.

Edison Luiz Brittes Júnior, assassino confesso do jogador Daniel, deve ser o primeiro a ser ouvido — Foto: Reprodução/ RPC Curitiba
Edison Luiz Brittes Júnior, assassino confesso do jogador Daniel, deve ser o primeiro a ser ouvido — Foto: Reprodução/ RPC Curitiba

Os sete réus do processo que investiga a morte do jogador Daniel Correia Freitas devem ser interrogados pela Justiça na terceira fase de audiências, que começou nesta terça-feira (13), no Fórum de São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba.

Esta é a primeira vez que eles são ouvidos pela Justiça desde que ocorreu o crime, em outubro do ano passado.

A audiência começou por volta das 10h com o interrogatório de testemunhas que não tinham sido ouvidas nas fases anteriores. Às 11h, o interrogatório de uma das testemunhas foi interrompido para uma acareação.

Entre os réus, Edison Brittes Junior, assassino confesso do jogador, deve ser o primeiro a ser ouvido.

Nas outras fases das audiências, foram ouvidas as testemunhas de acusação e defesa. Quatro delas ainda devem ser ouvidas nesta terceira etapa.

Daniel foi encontrado morto com sinais de tortura em uma área rural de São José dos Pinhais. Edison Brittes disse que o matou porque ele tentou estuprar a esposa dele, Cristiana Brittes.

Edison Brittes disse à polícia que matou Daniel porque o jogador tentou estuprar a esposa dele — Foto: Reprodução/Facebook
Edison Brittes disse à polícia que matou Daniel porque o jogador tentou estuprar a esposa dele — Foto: Reprodução/Facebook

Os depoimentos, conforme a Justiça, devem encerrar até quinta-feira (15). Depois dessa etapa, as partes envolvidas terão um prazo para apresentar as alegações finais. Na sequência o juiz deve decidir se os réus vão ou não a júri popular.

Dos sete réus, cinco estão presos. Allana Brittes, filha de Edison, deixou a prisão na quarta-feira (7). Ela teve um pedido de habeas corpus aceito pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ). A decisão foi unânime dos cinco ministros da 6ª Turma, segundo o STJ.

A filha de Edison e Cristiana, Allana Brittes, é ré no processo sobre a morte do jogador Daniel e responde em liberdade — Foto: Giuliano Gomes/PRPress
A filha de Edison e Cristiana, Allana Brittes, é ré no processo sobre a morte do jogador Daniel e responde em liberdade — Foto: Giuliano Gomes/PRPress

Os depoimentos estavam marcados inicialmente para os dias 5, 6 e 7 de agosto, e foram alterados para a partir desta terça depois de um pedido de um dos advogados, que defende Ygor King e David Willian da Silva, e que também possui cliente réu na Operação Rádio Patrulha, que tinha audiências marcadas para as mesmas datas.

Confira, abaixo, quem são os réus e por quais crimes foram denunciados

  • Edison Brittes Júnior – homicídio triplamente qualificado, ocultação de cadáver, fraude processual e corrupção de menor e coação no curso do processo;
  • Cristiana Brittes – homicídio qualificado por motivo torpe, coação do curso de processo, fraude processual e corrupção de menor;
  • Allana Brittes – coação no curso do processo, fraude processual e corrupção de adolescente;
  • Eduardo da Silva – homicídio triplamente qualificado, ocultação de cadáver, fraude processual e corrupção de menor;
  • Ygor King – homicídio triplamente qualificado, ocultação de cadáver, fraude processual e corrupção de menor;
  • David Willian da Silva – homicídio triplamente qualificado, ocultação de cadáver, fraude processual, corrupção de menor e denunciação caluniosa;
  • Evellyn Brisola Perusso – denunciação caluniosa, fraude processual, corrupção de menor e falso testemunho.
Do lado esquerdo (família Brittes) e do lado direito (Eduardo Purkote). O grupo se reuniu em um shopping após o crime, conforme investigações — Foto: Reprodução

Do lado esquerdo (família Brittes) e do lado direito (Eduardo Purkote). O grupo se reuniu em um shopping após o crime, conforme investigações — Foto: Reprodução

You may be interested

Bolsonaro diz que ‘não pode existir’ prisão para PM que algemar de ‘forma irregular’
Presidente
8 Visualizações
Presidente
8 Visualizações

Bolsonaro diz que ‘não pode existir’ prisão para PM que algemar de ‘forma irregular’

Carlos Nascimento - 16/08/2019

Projeto do abuso de autoridade, aprovado pela Câmara, prevê pena de seis meses a dois anos de detenção para quem submeter o preso ao uso de algemas…

‘Crime impossível’, diz polícia sobre mulher que insistiu em retirar prêmio da Mega-Sena com bilhete falsificado em MT
Policia
7 Visualizações
Policia
7 Visualizações

‘Crime impossível’, diz polícia sobre mulher que insistiu em retirar prêmio da Mega-Sena com bilhete falsificado em MT

Carlos Nascimento - 16/08/2019

Segundo a polícia, ficou entendido que a jovem utilizou 'de meio absolutamente ineficaz' para tentar aplicar o golpe, configurando crime impossível. Bilhete foi falsificado, segundo a Polícia…

Laudo preliminar de perícia sugere que liderança indígena do Amapá não foi assassinada
Crimes
8 Visualizações
Crimes
8 Visualizações

Laudo preliminar de perícia sugere que liderança indígena do Amapá não foi assassinada

Carlos Nascimento - 16/08/2019

PF informou nesta sexta-feira (16) que indícios são de afogamento. Cacique morreu em julho. Polícia Federal enviou equipes para investigar morte de líder indígena e possível invasão…

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

Most from this category