Autoridades reagem a disparo de fogos de artifício em direção ao prédio do STF; veja repercussão

Grupo de apoiadores de Bolsonaro disparou dispositivos rumo ao palácio na Praça dos Três Poderes, na noite de sábado. STF e PGR pediram investigação; políticos repudiaram conduta. Autoridades reagiram neste domingo (14) ao lançamento de fogos de artifício na direção do prédio do Supremo Tribunal Federal (STF), em Brasília, na noite de sábado (13).
A ação foi protagonizada por um grupo de apoiadores do presidente Jair Bolsonaro e durou ao menos cinco minutos. Os apoiadores de Bolsonaro ofenderam com xingamentos pesados os ministros da Corte, inclusive o presidente Dias Toffoli. Em tom de ameaça, perguntavam se os ministros tinham entendido o recado e mandaram que eles se preparassem.
Grupo lança fogos de artifício na direção do prédio do STF
O episódio foi repudiado por autoridades, juristas e políticos. Confira, abaixo, as declarações:
Fernando Henrique Cardoso, ex-presidente da República
“Minha solidariedade ao STF é total. Os fogos vistos no YouTube e a voz tremebunda atacando-o são contra a democracia. Gritemos: não ao golpismo! Os militares são cidadãos: devem obediência à Constituição como todos nós. Defendamos juntos Brasil, povo e lei, antes que seja tarde.”
Michel Temer, ex-presidente da República
Presidente Dias Toffoli. Receba minha solidariedade à sua manifestação. A agressão física a Suprema Corte revela o desconhecimento de suas elevadas funções como um dos principais garantes da democracia integrada, como é , por juristas do maior porte e forjados na ideia de rigoroso cumprimento da Constituição Federal.”
Fernando Collor de Melo, ex-presidente da República
O STF é o guardião da Constituição Federal e dos direitos fundamentais. Atacar a Suprema Corte é uma afronta à mais básica racionalidade democrática e uma ofensa à ordem constitucional! Tentar amedrontar a Justiça com manifestações de ódio é intolerável!
José Sarney, ex-presidente da República
“Sr. Presidente Dias Toffoli, Solidário à sua mensagem, junto o meu protesto contra inqualificável e criminosa agressão ao STF, guardião da Constituição, integrado por magistrados de altas virtudes culturais e morais. Peço para estender minha solidariedade a toda Corte.”
André Mendonça, ministro da Justiça e Segurança Pública
” Em tempos tão difíceis, é essencial voltarmos aos princípios:
1º. A democracia pressupõe, acima de tudo, que todo poder emana do povo. Por isso, todas as instituições devem respeitá-lo. Devemos respeitar a vontade das urnas e o voto popular. Devemos agir por este povo, compreendê-lo e ver sua crítica e manifestação com humildade. Na democracia, a voz popular é soberana.
2º. A democracia pressupõe o respeito às suas instituições democráticas. Qualquer ação relacionada à Presidência da República, ao Congresso Nacional, ao STF ou qualquer instituição de Estado deve pautar-se por esse respeito.
3º. Portanto, todos devemos fazer uma autocrítica. Não há espaço para vaidades. O momento é de união. O Brasil e seu povo devem estar em 1º lugar.”
Joao Doria, governador de São Paulo (PSDB)
“O ataque ao STF e seus ministros neste final de semana, envergonha o Brasil. Demonstra a face extremista de manifestantes, que menosprezam intituições e a Constituição. Transmito ao STF minha solidariedade e profundo repúdio aos manifestantes que agridem a democracia brasileira”.
Marcelo Ramos, deputado (PL-AM)
Quem agride o STF agride a Constituição e a Democracia. Soltar fogos de artifício em direção ao prédio do Tribunal e prometer agressão aos seus membros não é manifestação, é crime e como tal deve ser tratado.
Randolfe Rodrigues, senador (Rede-AP)
“Nossa democracia foi conquistada e deve ser protegida com todas as nossas forças. Isso requer união e sincronia na atuação de todos os democratas do Brasil. A hora é de juntar forças contra o que há de pior nesse país: aqueles que atentam contra as instituições!”
PSDB
“O ataque ao Supremo Tribunal Federal na noite passada é uma agressão ao Estado Brasileiro. Inaceitável. Ato criminoso que tem de ter apuração firme. Todos que prezam a Democracia devem se sentir atingidos.”
Ministros do STF
Os próprios ministros do STF reagiram ao episódio. O presidente do tribunal, Dias Toffoli, emitiu nota de repúdio e requisitou que a Procuradoria-Geral da República , a Polícia Federal e a Secretaria de Segurança do DF tomem providências sobre o caso.
Confira, abaixo, o que disseram os ministros:
Dias Toffoli, presidente do STF
“Infelizmente, na noite de sábado, o Brasil vivenciou mais um ataque ao Supremo Tribunal Federal, que também simboliza um ataque a todas as instituições democraticamente constituídas.
Financiadas ilegalmente, essas atitudes têm sido reiteradas e estimuladas por uma minoria da população e por integrantes do próprio Estado, apesar da tentativa de diálogo que o Supremo Tribunal Federal tenta estabelecer com todos – Poderes, instituições e sociedade civil, em prol do progresso da nação brasileira.
O Supremo jamais se sujeitará, como não se sujeitou em toda a sua história, a nenhum tipo de ameaça, seja velada, indireta ou direta e continuará cumprindo a sua missão.
Guardião da Constituição, o Supremo Tribunal Federal repudia tais condutas e se socorrerá de todos os remédios, constitucional e legalmente postos, para sua defesa, de seus Ministros e da democracia brasileira.”
Alexandre de Moraes
“O STF jamais se curvará ante agressões covardes de verdadeiras organizações criminosas financiadas por grupos antidemocraticos que desrespeitam a Constituição Federal, a Democracia e o Estado de Direito. A lei será rigorosamente aplicada e a Justiça prevalecerá.”
Luís Roberto Barroso
“Há no Brasil, hoje, alguns guetos pré-iluministas. Irrelevantes na quantidade de integrantes e na qualidade das manifestações. Mas isso não torna menos grave a sua atuação. Instituições e pessoas de bem devem dar limites a esses grupos. Há diferença entre militância e bandidagem.”
Gilmar Mendes
“Sobre os episódios de ontem, eu acho que são lamentáveis. Todo atentado a qualquer instituição democrática é um atentado à democracia. Devemos cumprimentar [o governador] Ibaneis, tanto pela atitude de preservação do espaço público como pela reação aos ataques ao Supremo Tribunal Federal.”

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui