Mansueto alerta que será preciso ‘pragmatismo’ para fazer ajuste fiscal pós-pandemia

Em conversa com o Blog, o secretário do Tesouro, Mansueto Almeida, alerta que será preciso pragmatismo para fazer um ajuste fiscal pós-pandemia. De saída anunciada do governo, Mansueto ressalta que, passado esse momento, o país terá que fazer, já no segundo semestre, as reformas tributária e administrativa, mas também uma mudança nos programas sociais.
“Todo mundo terá que ser muito pragmático. Tem muita coisa que precisa ser feita no segundo semestre”, disse Mansueto.
Ele ressalta que o ajuste fiscal “é por natureza uma decisão política”. “Só terá ajuste se tiver o acordo do presidente da República. Se tiver o apoio da sociedade e do presidente”, observou.
“Secretário do Tesouro, ou ministro da Economia, não faz o ajuste”, ressaltou.
Ele também disse que, nesse período pós-pandemia, o governo tem instrumentos para agir “por meio dos bancos públicos”.
Reforçando que foi uma decisão planejada e já comunicada há três semanas ao ministro da Economia Paulo Guedes, Mansueto diz que fará uma transição nesse período para a deixar o governo no início de agosto.
Segundo ele, há nomes na própria equipe econômica que podem assumir o cargo. E reforçou que toda a equipe técnica fica na Secretaria do Tesouro.
Especialistas debatem o papel do estado e as reformas na economia pós-coronavírus

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui