Ministro do Planalto foi avisado na véspera da votação do Fundeb que base não apoiaria mudanças

Ainda na segunda-feira (20), o ministro Luiz Eduardo Ramos, articulador político do Palácio do Planalto, ouviu uma avaliação realista sobre a dificuldade do governo de aprovar as mudanças desejadas pela equipe econômica na proposta de emenda à Constituição (PEC) do Fundeb.
“Vai um conselho de alguém que não é do governo: esse não é momento de testar a base de apoio na Câmara”, avisou o líder do PSDB, deputado Carlos Sampaio (SP).
A avaliação do tucano foi feita em reunião na noite de segunda-feira, no gabinete do presidente da Câmara, Rodrigo Maia. Sampaio deixou claro que já havia uma maioria na Câmara pela aprovação do texto sem as alterações propostas pelo governo.
Outros deputados que estavam na reunião também reforçaram a tese. Na sequência, Rodrigo Maia sugeriu que o ministro ouvisse o conselho do líder tucano.
Até aquele momento, a estratégia do líder do PP, deputado Arthur Lira, era a de adiar a votação com o apoio do Centrão. Houve tentativa, inclusive, de esvaziar o quórum.
Mas, como revelou o blog, parlamentares do próprio Centrão alertaram pouco antes da votação que seria um erro do governo tentar cobrar fidelidade da nova base justamente na votação do Fundeb.