Mulher de tenente do Corpo de Bombeiros morto em Sapiranga é presa suspeita de envolvimento no crime


Enteado de Glaiton Silva Contreira já está preso. Segundo a polícia, esposa ajudou no planejamento e execução da morte do tenente, morto por golpes de faca no pescoço, em 26 de outubro. Glaiton Silva Contreira, de 52 anos comandava os pelotões dos Bombeiros de Montenegro e Taquari
Reprodução / Facebook
A Polícia Civil prendeu, nesta segunda-feira (9), a esposa do tenente do Corpo de Bombeiros Glaiton Silva Contreira por suspeita de planejamento e execução da morte dele. Glaiton foi encontrado morto em 26 de outubro, em Sapiranga, na Região Metropolitana de Porto Alegre.
O filho da suspeita, enteado do tenente, já havia sido preso em flagrante pelo crime. Segundo o delegado do caso, Fernando Branco, a polícia descobriu que ela colaborou com o assassinato.
A mulher teria dopado a vítima e ajudado o filho a levá-lo, desacordado, até o carro. O filho, então, teria golpeado Glaiton no pescoço com uma faca, e deixado ele em uma região afastada de onde a família morava.
A polícia investiga ainda se a substância usada para dopar o homem é a mesma dos medicamentos que foram desviados de um hospital pelo enteado, que era estagiário do local.
Segundo o delegado, a motivação para o crime seria patrimonial, e teria relação com a divisão de um imóvel no processo de separação entre a vítima e a mulher.
O suspeito confessou o crime. Já a mãe não havia sido ouvida pela polícia até a publicação desta reportagem.
“Não se descarta, da parte dela, motivação passional também, pois ele já tinha um novo relacionamento”, afirma Fernando Branco.
Mãe e filho devem ser indiciados por homicídio qualificado.
Veja mais vídeos do RBS Notícias