Opera Venus: Mariana Degani mergulha nas simbologias venusianas em novo álbum

Mariana Degani lança, nesta quinta-feira (4),  seu novo álbum de estúdio, intitulado ‘Opera Venus’. Diferente de FURTACOR, seu primeiro disco, esse foi pensado, criado e produzido como um projeto em sua totalidade.

O trabalho nasceu de maneira natural, resultado de anotações, desejos sobre o tema, frases e pedaços de poesia que a artista foi, ao longo do tempo, colecionando. Do começo ao fim, o álbum se vale da antropofagia, com recortes e colagens que dão o tom de um “trop-hop”, isto é, um trip-hop-tropicalista com algumas pitadas de trap. Os beats e arranjos têm sua gênese na interação da voz com as primeiras linhas de baixo criadas para uma primeira audição das canções no ano passado.

“Esse trabalho foi gestado em 2019. E ele nasce num momento em que o planeta nos mostra que a forma como temos nos organizado, como sociedade, não vai bem. OPERA VENUS é OBRA e OPERAção para a criação de um novo mundo, com influências e princípios que são símbolo do amor, da beleza, do prazer, da fertilidade e do feminino”.

Ouça ‘Opena Venus’:

Ao mesmo tempo que se dedicava ao álbum, Mariana Degani gestava um bebê. Nina, que nasceu depois de pronto o trabalho, é também o fruto desta OPERA VENUS.  “Acho que é por isso que o disco carrega essa coisa tão elementar que é a vida, a expectativa do “o que será?” e os questionamentos incontornáveis “de onde ela vem?”, ou do famoso “existirmos: a que será que se destina?”, do Caetano”, finaliza.  

Gravado no Estúdio Guevara, de forma independente, “OPERA VENUS” já está disponível em todas as plataformas de música. Com duas faixas co-produzidas  por Paiva Prod, o disco foi mixado por Alejandra Luciani e masterizado por Maurício Gargel.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui