Retomada das reformas dependerá do efeito dos ruídos políticos, diz Anbima

A Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais avalia que os investimentos no país e a retomada econômica com sustentabilidade estão condicionadas às reformas, após a crise do coronavírus. A avaliação foi feita pelo economista-chefe do Bradesco e coordenador do Grupo Macro da Anbima, Fernando Honorato.

Em uma sinalização de que não haverá mudança na política econômica, o ministro Paulo Guedes promete retomar a discussão das reformas após a pandemia da Covid-19. O mercado admite que dificilmente haverá condições para uma alteração tributária ainda em 2020.

O economista-chefe do Bradesco e coordenador do Grupo Macro da Anbima, Fernando Honorato, participou de uma Live do Valor Econômico.

*Com informações do repórter Marcelo Mattos

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui