Saída de dólar supera entrada em US$ 10,4 bilhões no ano

O fluxo cambial do ano até o dia 15 de maio ficou negativo em US$ 10,394 bilhões, informou nesta quarta-feira (20) o Banco Central. Isso significa que a saída de dólar do país foi quase US$ 10,4 bilhões maior que a entrada.

Em igual período do ano passado, o resultado era positivo em US$ 5,706 bilhões. Os dados refletem, em grande parte, os efeitos da pandemia do novo coronavírus sobre o fluxo de moeda estrangeira.

A saída pelo canal financeiro neste ano até 15 de maio foi de US$ 33,356 bilhões. O resultado é fruto de aportes no valor de US$ 203,967 bilhões e de envios no total de US$ 237,323 bilhões. O segmento reúne os investimentos estrangeiros diretos e em carteira, remessas de lucro e pagamento de juros, entre outras operações.

No comércio exterior, o saldo anual acumulado até 15 de maio ficou positivo em US$ 22,962 bilhões, com importações de US$ 55,956 bilhões e exportações de US$ 78,918 bilhões. Nas exportações estão incluídos US$ 13,301 bilhões em Adiantamento de Contrato de Câmbio (ACC), US$ 28,023 bilhões em Pagamento Antecipado (PA) e US$ 37,593 bilhões em outras entradas.

Maio

Depois de encerrar abril com saídas líquidas de US$ 1,378 bilhão, o país registrou fluxo cambial positivo de US$ 2,337 bilhões em maio até o dia 15, informou o Banco Central.

O canal financeiro apresentou saídas líquidas de US$ 837 milhões no período, com aportes no valor de US$ 18,339 bilhões e retiradas no total de US$ 19,176 bilhões.

No comércio exterior, o saldo de maio até o dia 15 é positivo em US$ 3,173 bilhões, com importações de US$ 4,693 bilhões e exportações de US$ 7,867 bilhões. Nas exportações, estão incluídos US$ 969 milhões em ACC, US$ 3,499 bilhões em PA e US$ 3,398 bilhões em outras entradas.

*Com Estadão Conteúdo

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui